Abertura de empresa de Importação: tudo o que você precisa saber

Tempo de leitura: 4 minutos

Entenda os principais aspectos que merecem atenção para abertura de empresa de importação: registro da empresa, plano de negócios, legislação sobre comércio exterior e muito mais!

A abertura de empresa de importação envolve algumas especificidades, como escolha do objeto social da empresa, obtenção de alvará sanitário quando necessário, entre outras questões. O ramo de comércio exterior como um todo é reconhecidamente “super regulado”. Isto é, existe por parte do governo uma grande preocupação em acompanhar de perto a atuação das empresas, o que acaba exigindo destas grande comprometimento não somente para constituir a empresa, mas para operar nesse mercado.

Pensando nisso, organizamos neste artigo uma espécie de guia para abertura de empresa exportadora. Apresentaremos dicas sobre o que considerar antes mesmo da constituição da empresa, além, claro, de especificar o que é necessário para isso. Ao final, ainda falaremos sobre plano de negócios. Não deixe de conferir!

O que avaliar antes da abertura da empresa de exportação?

O segmento de importadoras é realmente promissor. Atualmente, o país conta com cerca de 25 mil empresas nesse segmento, número que apresentou crescimento nos últimos anos. (Fonte: Ministério da Economia, Comércio Exterior e Serviços). No entanto, antes de se lançar nesse mercado é preciso ficar atento a algumas questões importantes, tais como:

  • elaboração de um bom plano de negócios;
  • avaliação do momento internacional e das cotações cambiais;
  • escolha assertiva do produto ou serviço;
  • amplo conhecimento da legislação vigente;
  • simulação de custos operacionais e
  • previsão de prazos a cumprir junto a clientes e demais parceiros.

A observância de todos esses aspectos é fundamental para uma empresa importadora competitiva. Como já destacado, esse segmento pode não ser o mais amigável para empreendedores que não se preparam devidamente.

Como deve ser a abertura da empresa de exportação?

Feita essas primeiras considerações em relação a fase de preparação, é hora de tratar da abertura de empresa de importação propriamente. Quanto a isso, vale destacar que uma empresa já constituída pode ser “enquadrada” no objeto social ligado a atividade de importação. Para isso, é preciso consultar o CNAE – Classificação Nacional de Atividades Econômicas para escolher a classificação correta e solicitar a alteração da razão social.

Para constituir uma nova empresa, vale o trâmite que é amplamente conhecido por todos, que envolve registro na Junta Comercial de seu estado, obtenção de Cadastro de Pessoa Jurídica (CNPJ) junto a Secretaria de Estado de Fazenda Estadual e alvará de funcionamento na Prefeitura. A depender da área de atuação e porte da empresa, também será necessário consultar o Código Sanitário para possível obtenção de alvará especial. 

Seja no caso de reenquadramento do objeto social da empresa ou constituição de uma nova empresa, será preciso realizar o cadastro da empresa importadora no REI – Registro de Exportadores e Importadores, que é de competência da Secretaria de Comércio Exterior – SECEX, ligada ao Ministério da Economia. 

Segundo orientações no site do próprio Ministério 

“Para exportar, as empresas devem estar cadastradas no REI – Registro de Exportadores e Importadores da Secretaria de Comércio Exterior. A inscrição no REI é automática, no ato da primeira operação, sem maiores formalidades. As pessoas físicas (agricultor ou pecuarista, com registro no Incra, artesãos, artistas ou assemelhados, registrados como profissionais autônomos) deverão solicitar o cadastramento no REI ao DECEX – Departamento de Operações de Comércio Exterior da SECEX.”

Para maiores informações, acesse a página da SECEX.

O que considerar em seu plano de negócios?

Mais que se preocupar com a abertura de empresa de importação, é preciso gastar bastante tempo e energia montando um bom plano de negócios. Afinal de contas, o sucesso de sua operação dependerá de bastante planejamento. Em meio a esse esforço, vale ficar atento às seguintes variáveis:

  • detalhes sobre os produtos importados;
  • mercados concorrentes e mercado-alvo; 
  • preços praticados; 
  • principais empresas concorrentes; 
  • estratégias de marketing e vendas; 
  • existência de barreiras comerciais.

E aí, gostou do artigo de hoje sobre abertura de empresa de importação? Restou alguma dúvida? Registre sua pergunta nos comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *